Um novo vídeo encontrado pela polícia no telemóvel de um suspeito confirma sem margem para dúvidas que a adolescente de 16 anos que denunciou ter sido violada por 33 homens numa favela do Rio de Janeiro diz a verdade.

Até agora, o dono do telemóvel, Raí de Souza, de 22 anos, alegava que o sexo com a menor tinha sido consentido. O novo vídeo divulgado no domingo, no programa “Fantástico” da TV Globo mostra a jovem a sofrer os abusos e a tentar reagir.

As imagens, chocantes, mostram a adolescente a gritar de dor e a dizer que não, enquanto um homem ri e responde "não o quê!" e continua o ato sexual forçado.

Raí de Souza, que está preso preventivamente, acusado de ser um dos autores do crime, tinha dito à polícia que tinha perdido o telemóvel, mas a inspetora Cristiana Honorato Bento, que investiga o crime, conseguiu mandados de busca para vários locais frequentados pelo suspeito e localizou o aparelho.

De acordo com o programa “Fantástico”, no telemóvel de Raí de Souza, também há áudios que revelam que os traficantes que violaram a jovem obrigaram os moradores do Morro da Barão a fazer um protesto, negando ter havido uma violação coletiva.

Ao jornal Globo, a inspetora disse que tanto Raí de Souza como Raphael Assis Duarte Belo (ambos presos) e um traficante de apelido Jefinho (também conhecido como Perninha) aparecem no novo vídeo, que ainda não tinha sido divulgado.

“Não há mais dúvida, para quem as tinha. No vídeo, aparecem os mesmos autores abusando da menina”, confirma Cristiana Bento.


De acordo com a polícia, a adolescente, deixada nua e desmaiada numa casa da favela por Raí de Souza e pelo suposto namorado dela, Lucas Perdomo, foi violada ao longo de 30 horas por dois grupos diferentes de criminosos, sete dos quais já identificados.