No Brasil, 25 polícias militares foram condenados a 624 anos de prisão cada um, por terem sido considerados culpados de 52 mortes no massacre da cadeia de Carandiru, há 20 anos.

Os agentes estavam inicialmente acusados de 73 homicídios, um número que acabou por ser reduzido por falta de provas.

Todos os condenados estão em liberdade e vão recorrer da sentença nessa condição. Contudo, os nove que ainda estão no ativo vão deixar de poder exercer a profissão.

Em Abril, outros 23 polícias militares já tinham sido condenados a 156 anos de prisão, pela morte de 12 presos.