Um grupo de manifestantes contra o Governo da Presidente Dilma Rousseff e Lula da Silva tentou esta tarde entrar no Palácio do Planalto, gerando alguma tensão, segundo a assessoria da Polícia Militar do Distrito Federal.

Contudo, a mesma fonte confirmou à agência Lusa que a situação não envolveu violência.

Mais de uma hora após o início do protesto, agendado para as 17:00 (20:00 em Lisboa), cerca de 300 manifestantes encontravam-se no local, embora divididos em dois grupos, um contra o executivo e outro a favor, de acordo com dados da mesma fonte.

Recorde-se que apesar de não haver confirmação oficial, foi noticiado que Lula da Silva deverá assumir a pasta da Casa Civil no Governo de Dilma Rousseff. A informação avançada pelos meios de comunicação social do país são unânimes na notícia. Dilma Roussef e Lula da Silva, acompanhados de outros ministros do Governo estiveram reunidos esta quarta-feira de manhã, no Palácio da Alvorada, para acertar as condições das alterações ministeriais.

No Brasil, agudiza-se a crise no Governo de Dilma por causa da "Operação Lava Jato" e das investigações a Lula da Silva. Como ministro, ex-Presidente já não pode ser detido preventivamente.

Foi também divulgada hoje uma conversa telefónica entre Dilma Rousseff e Lula da Silva, em que a Presidente do Governo brasileiro diz que vai enviar um "termo de posse" para Lula assinar e só usar "em caso de necessidade".

Gás pimenta e cassetetes para separar grupos pró e contra Governo

Entretanto, a Polícia Militar usou gás pimenta e cassetetes para separar dois grupos de manifestantes que protestam esta quarta-feira em Brasília, contra e a favor do Governo da Presidente Dilma.

A informação foi confirmada à agência Lusa pela assessoria da Polícia Militar do Distrito Federal, que conta com 100 agentes no local para controlar os manifestantes, que nesta altura já são cerca de 1500.

Uns manifestantes protestam contra Dilma e a entrada de Lula da Silva no Governo e outros a favor do Partido dos Trabalhadores (PT).