O antigo presidente brasileiro Lula da Silva comparou, esta terça-feira, Aécio Neves e o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) que o apoia à «intolerância» dos nazis e a Herodes, dizendo que os tucanos perseguem o PT (Partido dos Trabalhadores) como o rei perseguiu Jesus. Foi durante uma iniciativa de campanha em Recife, Pernambuco, ao lado de Dilma Rousseff, que juntou entre 30 mil a 50 mil pessoas, de acordo com o jornal «Estado de São Paulo».

Lula fez a comparação com os nazis durante o discurso, quando questionava o passado de Aécio enquanto Dilma combatia a ditadura militar. «Onde estava o candidato quando esta moça, aos 20 anos, estava colocando a vida em risco na luta pela liberdade desse país? Estava aprendendo a ser grosseiro, a ser mal-educado? (…) Se o Nordeste ouviu, se o Nordeste leu o preconceito contra nós, as injustiças… parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da Segunda Guerra», disse Lula.

«Eles são intolerantes. O outro dia, disse para eles: vocês são mais intolerantes que Herodes, que matou Jesus Cristo por medo de ele se tornar o homem que virou. Querem acabar com o PT, querem acabar com a presidenta Dilma, achincalhar ela, chamar de leviana. Só pode ser feito por um filhinho de papão, porque um nordestino jamais faria isso», acrescentou.


Lula definitivamente na campanha

O ex-presidente entrou definitivamente nesta última fase da campanha eleitoral. De acordo com o jornal «Estado de São Paulo», ele deverá agora dividir o protagonismo com a candidata do PT, Dilma Rousseff, e encabeçar muitas das ações de campanha, enquanto Dilma encabeça outras. A decisão não terá sido tomada por necessidade de Dilma, mas precisamente pelo contrário: a direção da campanha do PT avaliou os resultados das últimas sondagens e concluiu que não há necessidade, diante dos números, de Lula voltar a aparecer ao lado de Dilma. Assim, as duas figuras do PT vão viajar para locais diferentes, sobretudo com o intuito de apoiar os candidatos que disputam os governos estaduais nesta segunda volta.

Esta terça-feira, os dois estiveram juntos em Pernambuco, numa iniciativa de campanha que os petistas já consideraram um sucesso. Dilma e Lula desfilharam num carro aberto pelas ruas de Recife, acenando a uma multidão de entre 30 mil a 50 mil pessoas. O percurso demorou cerca de 45 minutos.

Além da multidão nas ruas, muitos assomaram às janelas dos prédios e atiraram confetis ao carro. De acordo com a imprensa brasileira, Dilma foi saudada com gritos de «eu te amo!».

Irmã de Lula apela ao voto… em Aécio

A irmã de Lula da Silva apareceu, entretanto, num vídeo publicado no YouTube, a apelar ao voto em Aécio, adversário de Dilma da Silva, apoiada pelo irmão.

«Estou pedindo para vocês terem consciência. No dia 26 de outubro, votem em Aécio Neves», diz Lindinalva Silva, naquilo que parece ser um vídeo caseiro.

A declaração de Lindinalva é antecedida pela introdução de uma suposta apresentadora, a quem mostra uma folha de papel que não é legível no vídeo e explica que o documento diz respeito a «umas leis, uns projetos que a Dilma está criando» e que «é muito importante que todos vejam».
Questionada pela tal «apresentadora» sobre as razões de apoio de Aécio contra o PT, Lindinalva Silca é clara: «Porque eu acho que é o melhor para o Brasil neste momento».



Em declarações ao portal «Terra» o deputado eleito Wilson Santos (PSDB, partido que apoia Aécio Neves), confirma a autenticidade do vídeo. O também ex-autarca de Cuiabá (Mato Grosso) já contou com o apoio de Lindinalva nas suas campanhas e chamou-a para trabalhar com ele na autarquia de Cuiabá.

«Ela já fez isso por mim também, quando disputei a prefeitura contra o PT, em 2004. Sou amigo dela. Ela ficou oito anos na nossa gestão, foi assessora de gabinete. Era uma espécie de secretária, muito simpática e prestativa. Atendia líderes comunitários, lidava com o povo», afirmou o deputado eleito.