Um helicóptero da TV Globo caiu, esta terça-feira, na praia do Pina, em Boa Viagem, na zona sul do Recife. Há pelo menos dois mortos. Uma terceira pessoa foi hospitalizada em estado grave.

Segundo o G1, o Globocop - assim é chamado o aparelho - caiu cerca das 6:15 (hora local) e transportava três pessoas. Na altura da queda do aparelho chovia muito na cidade do Recife e a equipa estava a recolher imagens que seriam usadas num noticiário regional. Foram de imediato acionados bombeiros e motas de água para localizar o helicóptero.

De acordo com as informações do serviço de urgência (SAMU), apenas o operador de imagem, Miguel Brendo Pontes Simões, sobreviveu ao acidente e encontra-se em estado grave no Hospital da Restauração, na área central capital.

As duas vítimas mortais eram funcionários da empresa Helisae, que presta serviços para a TV Globo há mais de 15 anos.

"Inicialmente, quando chegámos ao local, a informação é de que existiriam quatro tripulantes. Em terra temos, resgatados pela Comunidade do Pina, três pessoas. Dois óbitos, sendo que uma rapariga morreu durante as manobras de reanimação. Uma pessoa do sexo masculino foi transportada para o Hospital da Restauração", revelou um técnico de enfermagem do SAMU em entrevista ao jornal Bom Dia Pernambuco.

As primeiras indicações davam conta que o helicóptero teria explodido. No entanto, o capitão Romedrico Pereniz, do Corpo de Bombeiros, diz que não há sinais de explosão da aeronave.

"Não há indícios que tenha ocorrido uma explosão. Não há indícios de chama, de queimadura, nada disso. Apenas o politraumatismo. Foram as lesões que vieram a provocar os óbitos. A mulher teve uma paragem cardíaca, fizemos reanimação. Ela tinha muitas lesões, fraturas, cortes, hemorragias, mas nenhuma queimadura", apontou.