A desflorestação da floresta da Amazónia voltou a aumentar após quatro anos consecutivos em queda.

Números do Prodes (Projeto de Monotização da Floresta Amazónica por Satélites) e do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) do Brasil apontam um aumento de 28% de corte de árvores entre agosto de 2012 e junho de 2013.

Os dados, divulgados pela «Folha de S.Paulo», confirmam que este é o primeiro aumento desde o último de 11%, registado em 2008.

A ministra brasileira do meio ambiente, Izabella Teixeira, considerou «inaceitável» que esta situação se registe e garante que não haverá cortes no investimento à fiscalização.

«A oscilação não está relacionada com a retirada de recursos do governo federal para fiscalização», garantiu Izabella Teixeira.

Segundo a ministra, foram abertos cerca de 4 mil processos criminais durante o período do aumento.

A governante está atualmente a participar na conferência mundial do clima, a decorrer até dia 22, em Varsóvia, Polónia, e garante que vai regressar mais cedo para se reunir com os secretários de Estado do meio ambiente e da Amazónia.