O presidente do Senado brasileiro, Renan Calheiros, antecipou para a próxima segunda-feira a criação de uma comissão especial que analisará o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff.

Calheiros tinha dito que pretendia estabelecer uma comissão na próxima terça-feira, mas, depois de alguns senadores da oposição se manifestarem contra a proposta, o presidente do órgão legislativo decidiu antecipar a sua criação.

“Não cobrarei antecipação de prazos, mas não deixarei de me manifestar quando eu vir que prazos possam ser cumpridos com mais celeridade. Não será compreensível se, na segunda-feira subsequente, não iniciarmos os trabalhos dessa comissão. O razoável é que vossa excelência possa permitir que já na segunda haja eleição e composição”, afirmou o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, de acordo com as agências.

No domingo, o sim ao impeachment, ou seja, a destituição da Presidente Dilma Rousseff venceu na votação da Câmara dos Deputados. O resultado ficou fechado com 367 votos a favor e 137 contra. 

Por conseguinte, Dilma Rousseff cancelou a viagem que tinha prevista para os Estados Unidos, depois da Câmara dos Deputados ter aprovado o seguimento para o Senado do processo de destituição. A presidente disse que está em curso um golpe de estado contra o qual vai lutar até ao fim e acusou o vice-presidente, Michel Temer, de conspiração e traição