O Presidente da Câmara de Londres, Boris Johnson, descreveu os guerrilheiros do Estado Islâmico como homens «que se gostam de masturbar» e que veem pornografia porque não conseguem conhecer mulheres.

As declarações do membro do Partido Conservador de David Cameron foram feitas ao jornal «The Sun» a propósito de um relatório dos serviços de inteligência MI5 sobre o perfil dos jihadistas, 
«Se repararem no perfil psicológico dos bombistas, por norma eles veem pornografia. São pessoas que gostam de se masturbar», afirmou.

As palavras, que já estarão a causar algum embaraço no seio do Partido Conservador, foram proferidas apenas uma semana depois de o responsável ter feito uma visita a Erbil, cidade curda no Iraque, para ver os guerrilheiros peshmerga a lutar contra os jihadistas.
«São torturados. Não conseguem ter relações com mulheres e isso é um sinal de que sentem o fracasso e que o mundo está contra eles. Não conseguem estar com raparigas e por isso arranjam outras formas de conforto espiritual  - claro que isso não é conforto nenhum», disse Johnson, ao jornal britânico.

As caraterização apontada pelo Presidente da Câmara londrina não ficou por aqui.
 «São homens jovens e desesperados, com necessidade de auto-estima, que não têm uma missão em particular na vida, que se sentem falhados e isto [a jihad] é o que os faz sentir fortes – como vencedores.»

Johnson garantiu que há várias provas que sustentam o ponto essencial das suas declarações. 
«O que é crucial perceber é que se tratam de homens jovens, a maioria cresceu sem sucesso na vida sem sentir que o mundo lhes podia dar alguma coisa no futuro.»

Um porta-voz de David Cameron já reagiu às declarações, afirmando que Johnson estava «certo em não ser bonzinho em relação a estas pessoas».