O Governo norte-americano condenou hoje o “bárbaro e cobarde” ataque contra um casamento curdo na Turquia, que provocou 51 mortos e 94 feridos, e reafirmou o seu apoio ao Governo turco na sua luta contra “o flagelo do terrorismo”.

“Os Estados Unidos condenam de forma veemente o ataque terrorista de ontem [sábado] em Gaziantep”, no sudeste da Turquia, referiu o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Ned Price, num comunicado.

Os autores de ato bárbaro atentaram cínica e cobardemente contra uma boda, matando dezenas de pessoas e deixando muitas outras feridas”, acrescentou Price, salientando que os Estados Unidos se mantêm “junto da Turquia, defendendo a democracia contra todas as formas de terrorismo”.

O bombista suicida responsável pelo atentado num casamento na cidade turca Gaziantep, que provocou pelo menos 51 mortos e 94 feridos, é um rapaz entre os 12 e os 14 anos. A informação foi avançada, este domingo, pelo Presidente da Turquia. Recep Tayyip Erdogan confirmou ainda que 17 feridos estão em estado muito grave, noticia a AFP.

"A explosão resultou de um bombista suicida com idade entre 12 e 14 anos que ou detonou [a bomba] ou foi detonada por outros à distância", afirmou Erdogan, numa conferência de imprensa em Istambul.

O Presidente turco reiterou a informação anteriormente avançada de que o ataque terá sido perpetrado pelo grupo jihadista que se autoproclama de Estado Islâmico.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, condenou o ataque perpetrado na Turquia e apelou a que os responsáveis sejam levados à justiça rapidamente.

O atentado, o quarto em 20 dias, visou um salão onde se celebrava um casamento, na cidade de Gaziantep, no sul do país.

Ban Ki-Moon destacou, no comunicado, a necessidade de intensificar os esforços na região para prevenir o terrorismo e a violência extrema.