A Turquia convocou o embaixador da Rússia em Ancara para “protestar fortemente” contra a segunda violação do seu espaço aéreo por um avião russo perto da fronteira com a Síria, revelou um antigo ministro turco.

“O enviado russo foi convocado, pela segunda vez, ontem [segunda-feira] à tarde para protestar veementemente por uma outra violação do espaço aéreo turco no domingo”, disse um antigo ministro turco, sob anonimato, à agência de notícias francesa AFP.

A violação do espaço aéreo turco no domingo terá ocorrido pela segunda vez, dias depois de a Turquia ter revelado que os seus bombardeiros tinham intercetado um avião russo próximo da fronteira com a Síria.

Na segunda-feira, a Turquia, os EUA e a NATO condenaram como "irresponsável" e uma "provocação" a violação do espaço aéreo turco por um caça russo, vindo da Síria, no sábado.

Moscovo respondeu que foi um engano e que o avião tinha sobrevoado território da Turquia por apenas alguns segundos, mas Ancara denuncia agora uma nova incursão da força aérea russa nas suas fronteiras no domingo. Um facto que aumenta a tensão entre o Kremlin e este país membro da NATO e com o segundo maior exército da Aliança Atlântica.

O Ocidente tem criticado a intervenção aérea lançada pela Rússia na Síria desde quarta-feira, acusando a aviação de Vladimir Putin de estar principalmente a defender o regime de Bashar al-Assad, e não a atacar as posições do grupo jihadista Estado Islâmico.

Moscovo diz que, na segunda-feira, a força aérea russa cumpriu 15 missões na Síria, tendo atacado dez alvos do Estado Islâmico.