Pelo menos 58 pessoas morreram, esta terça-feira, num ataque suicida levado a cabo por duas mulheres num campo de desalojados causados pelos ataques do Boko Haram, no nordeste da Nigéria, revelou o chefe da agência de gestão de emergências do estado de Borno, Satomi Ahmed, à AFP.

O ataque aconteceu em Dikwa, a 90 quilómetros da capital de Borno, Maiduguri, e acredita-se que seja uma vingança pelo ataque militar aéreo contra os redutos do Boko Haram.

Inicialmente, o chefe da agência de gestão de emergências do estado de Borno, tinha afirmado que tinham sido encontrados 35 corpos, número que aumentou horas depois e que poderá continuar a aumentar. O ataque fez ainda 78 feridos.

No campo de desalojados vivem mais de 53.600 pessoas.

"Do que conseguimos apurar, três bombistas suicidas chegaram ao campo cerca das 5:30. Duas delas fizeram-se explodir. A terceira recusou fazer o mesmo quando percebeu que os seus pais e irmãos estavam no campo. Rendeu-se perante as autoridades".

Segundo Satomi Ahmed, a mulher revelou às autoridades porque não detonou os explosivos e alertou-os para ataques que estão planeados para aquela região.