Duas explosões atingiram, esta terça-feira à tarde, um movimentado terminal de autocarros e um mercado com bastante afluência na cidade de Jos, na região central da Nigéria.

O duplo atentado provocou 118 mortos, informa a Agência Nacional de Emergência da Nigéria, citada pela Reuters.

Anteriormente o comissário de polícia Chris Olakpe afirmava que havia 46 mortos e 45 feridos.

De acordo com um porta-voz do governador, Pam Ayuba, citado pela AFP, «dezenas de pessoas morreram. Na maioria, mulheres». «As vítimas foram transportadas para as morgues» de dois hospitais da zona, acrescentou.

Estas foram as mais recentes explosões em três dias, depois de o estado de emergência ter sido alargado ao nordeste do país. O duplo atentado é atribuído ao grupo radical islâmico Boko Haram, que ameaça vender mais de 200 estudantes sequestradas como escravas.

As alunas foram raptadas a 14 de abril numa escola de Chibok, no nordeste do país. A região é reduto tradicional dos extremistas que querem transformar a Nigéria num estado islâmico. Metade da população de 170 milhões de habitantes da Nigéria é cristã.