Cerca de 63 mulheres e meninas das 68 raptadas em junho pelo grupo radical islâmico Boko Haram, na Nigéria, conseguiram escapar dos raptores, de acordo com o «Independent».

As mulheres terão aproveitado o ataque do grupo em Damboa, durante a noite de sexta-feira e a manhã de sábado, para fugir como contou o representante das milícias locais do estado de Borno Abbas Gava.

«Recebi um alerta dos meus colegas da área de Damboa, informando que cerca de 63 das mulheres raptadas conseguiram fugir e chegar até casa. Elas aproveitaram a oportunidade quando os raptores saíram para uma operação», afirmou Abbas Gava ao «Premium Times».

Apesar de ainda se desconhecerem detalhes sobre a fuga, Gava afirma que a oportunidade poderá ter surgido quando os rebeldes atacaram Damboa, numa operação que levou à morte de 12 soldados, cinco polícias e mais de 50 pessoas entre membros do grupo e civis.

Um agente de segurança nigeriano afirmou ao «Nigerian Bulletin» que a informação é verdadeira.

Gava acrescentou que o Boko Haram ainda terá cerca de cinco mulheres e duas raparigas sob sequestro. As mulheres foram raptadas em meados de junho, durante os ataques do grupo à localidade de Kummabza, no estado de Borno.

Os ataques do Boko Haram já fizeram milhares de mortos na Nigéria, desde 2009. Depois de em Abril o grupo ter raptado mais de 200 meninas de uma escola em Chibok, o mundo mobilizou-se em protesto contra os terroristas.