A rentrée do Parlamento Europeu ficou marcada pelo discurso sobre o estado da União do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, mas também pelo seu "lapso" que deixou Portugal fora da Europa, ao considerar que a Europa vai de Vigo a Varga - de Espanha à Bulgária.

Um descuido que a eurodeputada do Bloco de Esquerda, Marisa Matias, não deixou passar no seu Twitter:

Confusão, assim se espera, à parte, Juncker defendeu hoje, no mesmo discurso, que a Europa - zona euro - precisa de um ministro da Economia e Finanças.

Juncker considera que o Velho Continente deve aproveitar o “vento favorável” atual para construir uma Europa “mais forte”, e apontou cinco prioridades para próximo ano.

Com base no programa de trabalho da Comissão para 2018, o presidente da Comissão Europeia realçou cinco áreas onde deseja ver a União Europeia mais forte: no comércio, indústria, alterações climáticas, cibersegurança e migrações.