Milhares de pessoas da minoria muçulmana rohingya estão a tentar fugir da Birmânia para o Bangladesh, devido à recente vaga de violência que já fez pelo menos 109 mortos.

No entanto, e apesar do apelo do secretário-geral da ONU, António Guterres, no sentido de se acolher estas pessoas em fuga, as autoridades do Bangladesh estão a fazer de tudo para evitar mais entradas no país.

Segundo a Reuters, cerca de 5.000 rohingyas conseguiram enganar as autoridades e entrar no Bangladesh nos últimos dias. No entanto, pelo menos 550 foram barrados.

Há relatos de doenças e de pelo menos seis mortes entre as pessoas que tentam atravessar a fronteira.

Os ataques da minoria muçulmana rohingya a postos de polícia e do exército da Birmânia começaram na sexta-feira e já fizeram pelo menos 109 mortos.

Recorde-se que mais de 400 mil rohingyas vivem no Bangladesh, após terem fugido da Birmânia, maioritariamente budista, que se recusa a reconhecer esta minoria.