O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, descartou esta quinta-feira a possibilidade de acolher parte dos milhares de pessoas em busca de asilo, 'bloqueados' em barcos no golfo de Bengala.

"A Birmânia é a culpada porque é onde o problema tem origem. O nosso papel é fazer tudo o que é humanamente possível para deter o tráfico de pessoas, e o melhor modo de o fazer é deixando bem claro que se uma pessoa entra num barco defeituoso, não obterá o que pretende, ou seja, uma nova vida num país ocidental", afirmou Abbott.


O primeiro-ministro disse ainda que se a Austrália fizer "o menor gesto para encorajar as pessoas a entrar nos barcos, o problema irá agravar-se".