Nasceu Adam Armstrong mas vai morrer Adam West por causa de um bilhete de avião. Feitas as contas, este estudante britânico de 19 anos, concluiu que seria muito mais barato fazer um passaporte com novo nome do que pagar a multa que a companhia de aviação Ryanair exigia para mudar a identificação na passagem.

O passaporte novo custou-lhe 103 £ (140 euros), também pela mudança de nome, a  Ryanair exigia-lhe 220 £ (300 euros). Soma aqui, subtrai ali, poupou 160 euros.
 

O Facebook informa mal

O bilhete da polémica foi comprado pelo padrasto da namorada, que fez tudo menos ir ao Instituto dos Registos e Notariado de Manchester, terra Natal do rapaz que conta:

“O padrasto da minha namorada arranjou o meu nome através do meu Facebook onde me identifico como Adam West por piada, porque Adam West era o ator da série Batman na TV,” explica o outrora Adam Armstrong.  

 “Mostramos à companhia de aviação que não estávamos a querer mudar a pessoa mas o nome, só o nome, mas eles não recuaram. A Ryanair orgulha-se de ter uma política cujo o centro de atuação é cliente, com preços baixos. Só tinham de carregar numas poucas teclas para retificar a situação e queriam 300 euros por isso? É ridículo”, atira.

A maioria das companhias aéreas cobra multas pela troca de nome no bilhete, acontece que, em média, o custo fica entre os 20 e os 50 euros no máximo. 

Adam, que vai mesmo voar para Ibiza com a namorada no próximo dia 11 de junho, convida nas redes sociais a “pensar-se fora da caixa” e “encontrar forma de contornar o sistema”. Chame-lhe nomes!