Os pré-candidatos democratas às presidenciais nos EUA, Hillary Clinton e Bernie Sanders, trocaram críticas e acusações na quinta-feira no mais intenso debate dos nove em que participaram no âmbito da corrida à Casa Branca.

O debate, transmitido pela CNN e pelo canal NY1, foi o último antes das primárias no estado de Nova Iorque, na próxima terça-feira, consideradas chave no processo de escolha dos candidatos democrata e republicano nas eleições presidenciais de novembro.

Sanders e Clinton esgrimiram argumentos já utilizados noutras intervenções e em comícios recentes, mas fizeram-no num tom muito intenso, registando-se inúmeras interrupções devido a aplausos e algumas vaias por parte da audiência.

No confronto, que decorreu em Nova Iorque, os dois chegaram a gritar em várias ocasiões, quando discutiram temas como o aumento do salário mínimo ou a forma de subir as receitas da Segurança Social. Também surgiram temas da agenda internacional, como a Síria e Israel. 

Donald Trump recebido com protestos de imigrantes em Nova Iorque

O pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump foi recebido na quinta-feira com protestos em Nova Iorque, onde prossegue com a sua campanha para as primárias da próxima terça-feira.

Trump, que continua a liderar as intenções de voto republicanas, participou numa iniciativa de angariação de fundos para os candidatos do condado de Suffolk e numa gala do Partido Republicano em Manhattan, tendo sido recebido com protestos nos dois locais.

Na primeira iniciativa prometeu empregos para Suffolk e criticou os políticos que, a seu ver, nada fizeram para evitar que empresas como a Ford mudassem a produção para o México. Referiu também os 1.400 trabalhadores da empresa de ar condicionado Carrier que vão ser despedidos nos próximos três anos, a partir de 2017, que, como enalteceu o magnata, “são boas pessoas”.