O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, anunciou que tomará medidas “ofensivas e defensivas” após o ataque de quarta-feira em Telavive, que fez quatro mortos e foi alegadamente perpetrado por dois palestinianos.

Houve uma caso muito difícil aqui de assassínio a sangue frio por terroristas desumanos”, disse o chefe do Governo israelita, acompanhado pelo recém-nomeado ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, e pelo titular da pasta da Segurança Pública, Gilad Erdan, no seu regresso, esta madrugada, de uma viagem oficial à Rússia, segundo os meios de comunicação social locais.

“Mantivemos uma discussão sobre uma série de medidas ofensivas e defensivas que tomaremos para atuar contra este fenómeno”, afirmou, qualificando a situação como um desafio ao qual Israel responderá “firme e inteligentemente”.

O ataque com armas automáticas numa zona turística de Telavive, composta por lojas e restaurantes, causou pelo menos quatro mortos e nove feridos, um deles em estado muito grave.