O famoso explorador britânico Benedict Allen terá sido avistado numa zona remota da Papua Nova Guiné, onde há semanas procurava uma tribo, a Yaifo, uma das poucas no mundo que quase não convive com o exterior e com a qual teve o primeiro contacto há 30 anos.

Benedict Allen, protagonista de vários programas da BBC, estava a ser procurado desde domingo, depois de ter falhado o voo de regresso à capital daquele país, Port Moresby, de onde deveria partir para Hong Kong, a fim de participar numa palestra da Real Sociedade de Geografia.

No passado dia 11 de outubro, o explorador, de 57 anos, pai de três filhos menores, deu conta da sua última aventura, curiosamente avisando para não se fazer aquilo que acabaria por pedir que fizessem: ser salvo.

A caminho de Heathrow [aeroporto internacional de Londres, Reino Unido]. Vou estar ausente por uns tempos (não tentem resgatar-me, por favor. Para onde vou na Papua Nova Guiné não vão conseguir encontrar-me", escreveu no Twitter.

 

O correspondente da BBC para a segurança, Frank Gardner, disse nesta quinta-feira que Benedict Allen "foi visto" e "encontra-se bem". Estará numa zona da floresta acessível por helicóptero, onde chegou depois de vários dias a caminhar.

Ele pediu para ser resgatado e estão a decorrer esforços para retirá-lo. Apesar de ser apenas uma indicação de que foi avistado, trata-se da segunda vez que acontece. E além disso ele foi avistado por membros de uma tribo, que dificilmente se terão enganado a avistar um explorador britânico naquela zona remota da Papua Nova Guiné. Benedict Allen está são e salvo."

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido anunciou, entretanto, que está a acompanhar a situação.  

Benedict Allen aventurou-se pelas florestas da Papua Nova Guiné sem telemóvel ou GPS.