As autoridades belgas detiveram, este domingo, 16 pessoas, durante várias buscas realizadas em Bruxelas e em Charleroi. A procuradoria federal belga confirma que Salah Abdeslam não está entre os detidos e permanece em fuga.
 

“Salah Abdeslam não está, não está, entre os detidos. Há elementos específicos da investigação que precisavam das buscas deste domingo à noite.”

 
O jornal La Libre avançava ao início da noite deste domingo, que Salah Abdeslam tinha sido interpelado pela polícia na região de Liège, mas tinha conseguido fugir, num BMW, rumo à Alemanha.
 
Numa conferência de imprensa sem direito a perguntas por parte dos jornalistas, a procuradoria belga leu um comunicado onde esclarece que foram realizadas 19 buscas na região de Bruxelas, nos bairros de Molenbeek, Anderlecht, Jette, Schaerbeek, Woluwe-Saint-Lambert e Forest. Outras três buscas domiciliárias foram feitas em Charleroi.
 
As autoridades insistem que, “no interesse da investigação”, não podem ser avançados grandes pormenores sobre as buscas deste domingo, mas assegura que “até ao momento, não foram encontradas armas nem explosivos”.
 

“Não podemos dar mais informações sobre objetos encontrados nem sobre identidade das pessoas detidas.”

 
A Procuradoria sublinha que as operações decorreram sem incidentes, à exceção de um que ocorreu em Molenbeek. “Durante uma busca num snack-bar em Molenbeek, um veículo avançou para a polícia e, depois disso, a polícia fez dois disparos. O veículo prosseguiu, mas foi intercetado mais tarde em Bruxelas. O condutor, um homem, estava ferido e foi detido”, explicou o procurador.
 

“Não podemos confirmar se esta detenção está relacionada com a investigação em curso.”

  

“As investigações continuam. Para não prejudicar a investigação, não podemos ceder mais pormenores.”


Durante as operações desta noite, foram poucas as informações que foram sendo avançadas. A polícia pediu aos órgãos de informação e também aos utilizadores de redes sociais que deixassem de divulgar pormenores das investigações. Os meios de comunicação belga respeitaram o pedido e deixaram de avançar informação. 

Os internautas também acataram o pedido e responderam, de forma massiva, postando fotografias de gatos

Este domingo, o gabinete de crise criado pelo Governo belga para avaliar a ameaça terrorista, depois dos atentados de 13 de novembro em Paris, decidiu  manter o nível de alerta máximo em Bruxelas.  
  
O metropolitano e as escolas vão estar fechadas na segunda-feira. Contudo, as escolas vão abrir serviços de acolhimento para crianças cujos pais não tenham outra alternativa.  

A decisão de manter Bruxelas sob o nível máximo de alerta foi tomada após uma reunião realizada ao fim da tarde pelo Conselho de Segurança Nacional, para avaliar a adaptação das medidas de segurança em função da reanálise do grau de ameaça levada a cabo pelo Órgão de Coordenação e Análise de Ameaças (OCAM) e pelo centro de crise