Seis recém-nascidos a dormir em caixas de papel, num hospital. Mais do que viral, a fotografia tornou-se numa imagem simbólica da crise que afeta na Venezuela. É um retrato que apoia os argumentos dos críticos de Nicolás Maduro, numa altura em que o presidente do país tem desvalorizado as piores previsões económicas.

A imagem foi captada no Hospital Domingo Guzmán Lander, no estado de Anzoátequi, e já está a motivar averiguações dentro desta unidade de saúde. O deputado da oposição Tomás Guanipa denunciou que os médicos que captaram a imagem estão a ser intimados pelas autoridades para serem interrogados.

O governo venezuelano explicou o que aconteceu: uma médica colocou os recém-nascidos em caixas, quando havia sete incubadores disponíveis para acolher os bebés.

Mas a versão do governo parece não convencer todos os venezuelanos, conscientes das condições precárias em que o país tem mergulhado e que tem afetado setores tão importantes como a saúde ou a educação. 

As medidas económicas do governo e a queda dos preços do petróleo têm afundado a economia do país. O Fundo Monetário Internacional estima que a taxa de inflação no final do ano será de 720%. 

A imagem, muito partilhada nas redes sociais, surge depois de, em agosto, as Nações Unidas terem mostrado preocupação relativamente ao aumento da morte de bebés Na Venezuela. È que a taxa de mortalidade entre recém-nascidos passou de 0,02% em 2012 para 2,01% em 2015, ano em que houve 4.903 mortes.

Os médicos apontam a escassez de recursos nos hospitais, nomeadamente a falta de medicamentos importantes, como causas deste aumento da mortalidade.