A polícia brasileira está a investigar o rapto de uma recém-nascida que foi arrancada dos braços da mãe em plena rua, em Campo Grande. A mãe, uma adolescente de 14 anos, conta que a bebé foi levada à força. O comissário de polícia que investiga o caso acredita que o sequestro foi premeditado.

De acordo com a Globo e a rádio brasileira CBN, Nicole, a bebé de apenas cinco dias, ficou poucas horas no berço e nem houve tempo para a mãe lhe vestir as roupinhas que preparou ao longo de meses.

«Fico angustiada, procurando saber onde é que ela está, se ela está bem, se ela está mal. Mas, até agora, nenhuma notícia dela», lamenta a mãe em declarações aos jornalistas.

A adolescente refere que os sequestradores levaram a bebé à força, horas depois de ter deixado a maternidade com a filha. A jovem saiu do hospital de manhã e, à tarde, foi visitar alguns familiares que moram a poucos metros da casa dela. No regresso a casa, à noite, a adolescente conta que foi abordada numa esquina. Três homens e uma mulher aproximaram-se dela num carro vermelho.

«Ele parou, abriu a porta do carro, e disse: "Dá licença, eu estou levando". E quando eu segurei a bebé, eles neutralizaram-me. O motorista levantou o braço com uma arma na mão», afirma a mãe da criança.

Para o comissário que investiga o caso, o sequestro foi premeditado. «Nós percebemos que é alguma coisa que estava voltada para aquela criança, para aquela família. Houve algum facto anterior a este que levou a essa conduta», afirma Paulo Sérgio Lauretto aos jornalistas.

A polícia vai agora convocar toda a família para depor, inclusive o pai da criança, que é casado com outra mulher e teve um relacionamento com a adolescente. O pai da criança tem cadastro na polícia por tráfico de droga.