Um recém-nascido morreu no hospital Bankstown-Lidcombe, em Sydney, na Austrália, depois de lhe ser administrado nitrogénio em vez de oxigénio. Um segundo bebé está em estado crítico no mesmo hospital devido ao mesmo erro.

A ministra da saúde de Gales do Sul, Jillian Skinner, citada pela Sky News, já pediu desculpas pelo sucedido e revelou que o problema só foi descoberto quando o recém-nascido morreu e um pediatra levantou suspeitas de erro médico por achar “estranha” a morte praticamente súbita do bebé nascido este mês.

Estou profundamente devastada pelas famílias do bebé que morreu e do recém-nascido que foi severamente afetado. Tenho muita pena que as famílias tenham sofrido com um erro tão devastador. O Serviço Nacional de Saúde irá fazer tudo o que puder para ajudá-las".

Os testes mostraram que o bebé, em vez de emitir oxigénio, emitia nitrogénio”, afirmou ainda Jillian Skinner.

De acordo com a ministra, citada pela Sky News, o nitrogénio - também conhecido com gás do riso - não deveria ter sido instalado na unidade de ressuscitação neonatal.

O oxigénio num dos departamentos foi instalado incorretamente e certificado pela BOC Ltd (companhia certificada) em julho de 2015", garantiu.

As autoridades procuram agora saber se a unidade hospitalar seguiu corretamente o protocolo e se realmente se tratou de um erro de gestão logística, como afirma a ministra da Saúde.

As famílias dos bebés, nascido em junho e julho deste ano, foram informadas do erro este fim de semana. Oito dos departamentos já foram verificados desde a descoberta, mas a ala onde a morte do recém-nascido morreu continua encerrada para investigar se mais algum bebé foi tratado com o mesmo gás.

O caso está a ser investigado pelas autoridades de saúde australianas.