A transportadora aérea Japan Airlines (JAL) identificou hoje uma nova falha nas baterias de um aparelho Boeing 787, o mesmo modelo que em 2013 registou uma série de problemas nas baterias que obrigaram à paragem de toda a frota mundial daquele tipo de aviões.

Um porta-voz da JAL confirmou à agência Efe que o pessoal de manutenção do aeroporto de Narita, em Tóquio, detetou fumo a sair da parte inferior da fuselagem do 787 quando não estavam ainda passageiros a bordo.

O avião estava escalado para fazer uma ligação entre Tóquio e Banguecoque, na Tailândia.

O painel de controlo do aparelho tinha registado um alerta de um funcionamento incorreto da bateria principal e nos sistemas de carga.

Pouco depois de conhecido o caso, na sua conta oficial do Twitter, a Boeing assegurava que as alterações e melhorias introduzidas nas baterias dos 787 devido ao sobreaquecimento «parecem ter funcionado» de maneira correta neste caso e salientou que os seus técnicos estavam a trabalhar com a JAL para que o avião afetado voltasse ao serviço.

No início de 2013 várias companhias de todo o mundo mantiveram durante cerca de quatro meses os seus 787 Dreamliner em terra depois de se registarem vários casos de sobreaquecimento das baterias dos aviões.

Apesar da Boeing não ter conseguido apurar a razão das avarias, redesenhou o sistema para prevenir os casos de sobreaquecimento.