Membros da oposição síria e emissários do presidente sírio, Bashar al-Assad, iniciaram esta quarta-feira, em Moscovo, conversações com vista à retoma das negociações de paz para acabar com guerra civil que fez já 200 mil mortos.

Os 32 elementos de diferentes grupos da oposição tolerada por Damasco e seis membros da delegação oficial liderada pelo embaixador da Síria junto da ONU reuniram-se pouco depois das 10:00 locais (07:00 em Lisboa) numa residência da diplomacia russa, indicou um dos participantes do encontro à agência AFP.

Trata-se das primeiras conversações entre membros da oposição, designadamente representantes da Comissão de Coordenação Nacional para as Forças da Mudança Democrática e dos Curdos, e responsáveis do regime sírio desde o diálogo de Genebra II, realizado em fevereiro do ano passado.

Contudo, do diálogo, patrocinado pelo Kremlin, não se esperam grandes resultados, atendendo a que o principal grupo da oposição a Damasco - a Coligação Nacional - recusou participar. A coligação nacional da oposição síria, sediada em Istambul, considera que as discussões deveriam ter lugar sob a égide das Nações Unidas num país «neutro» e não na Rússia, inabalável apoiante de Damasco.

«Nós trouxemos uma lista de dez pontos. Para evitar cometer os mesmos erros que a oposição em Genebra II, não vamos abordar de imediato a questão de um governo de transição», afirmou o mesmo responsável à agência noticiosa francesa.

Entre as prioridades da oposição presente no encontro em Moscovo figuram o fim dos bombardeamentos, a libertação de prisioneiros políticos, «em especial de mulheres e crianças», bem como «os mecanismos para a entrega de ajuda humanitária».

«Estas primeiras discussões não são mais do que o início de um longo processo» de paz, sublinhou a mesma fonte, sob a condição de anonimato.

Após a primeira sessão da manhã, está previsto um encontro com o chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov, depois do meio-dia e antes de retomarem as conversações na parte da tarde. As discussões devem prosseguir na quinta-feira.