A visita ocorreu num dia em que um grupo de defesa dos direitos humanos estimou que morreram mais de 76 mil pessoas na Síria durante o ano de 2014.

«Gosto de estar convosco nesta ocasião», disse Assad aos militares.

«Na véspera de Ano Novo as famílias reúnem-se, mas vocês preferiram estar aqui a proteger o vosso país», cita a Sky.

Um presidente vestido de forma informal, com um casaco preto almofadado e a comer feijão de lata com os soldados. Uma rara aparição de Assad em público desde que começou a guerra civil no país, já lá vão mais de dois anos.