A base militar de Puckapunyal, que acolheu centenas de refugiados timorenses da violência no período que seguiu ao referendo em 1999 poderá agora ser utilizada para alojar alguns dos 12 mil refugiados sírios que a Austrália vai acolher.

Conhecida como "Pucka", a base, normalmente usada para formação pelo exército australiano, está localizada a 10 quilómetros a oeste de Seymour, no centro do estado australiano de Victoria.

Daniel Andrews, primeiro-ministro estatal, sugeriu esta opção em resposta à decisão do Governo nacional que esta semana anunciou que a Austrália vai receber 12 mil refugiados da Síria e do Iraque, desconhecendo-se, para já, quando os refugiados chegarão ao país.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, anunciou que a Austrália vai dar acolhimento permanente a mais 12.000 refugiados, em resposta à crise na Síria. Abbott explicou que será dada prioridade a mulheres, crianças e famílias de minorias perseguidas que tenham procurado refúgio temporário na Jordânia, Líbano e Turquia. 

O país anunciou ainda que vai alargar os seus ataques aéreos contra militantes do grupo Estado Islâmico do Iraque para a Síria, após um pedido dos Estados Unidos.