Um espanhol concretizou o sonho de ser pai solteiro, mas os gémeos que ajudou a conceber encontram-se na Tailândia, à distância de um pesadelo de 37 mil euros, escreve o El Mundo, nesta quinta-feira.
 
José Antonio Ocaña, natural de Sevilha, encontrou na empresa espanhola Subrogalia, especializada em barrigas de aluguer, a solução para ser feliz.
 
No início, contou ao El Mundo, tudo era facilidades até que nasceram os gémeos Isabel e Diego, filhos biológicos concebidos a partir do seu sémen e com um óvulo doado anonimamente numa clínica espanhola.
 
A paternidade custou-lhe 33 mil euros, um preço acordado estilo “chave na mão”, que conseguiu juntar contraindo dívidas que o seu emprego como funcionário de supermercado a custo vai pagando.
 
Mas cinco meses após o nascimento dos filhos este pai está a milhares de quilómetros de distância dos gémeos, que se encontram na Tailândia, país da barriga de aluguer e onde os bebés nasceram.
 
Isto porque, denunciou o pai, a Subrogalia, apresentou-lhe uma fatura inesperada de mais 37 mil euros, com a justificação de gastos médicos adicionais gerados pelo parto prematuro numa clínica privada da Tailândia.

“Os meus filhos são reféns da empresa. Ou lhes pago ou fico sem eles”, revelou.

José Antonio ainda tentou pagar mais alguma parte mas o facto de não ter conseguido o dinheiro todo levou a empresa a rescindir unilateralmente o contrato por incumprimento através de carta no passado dia 9 de março.

“O simples facto de estar disposto a abandonar os filhos porque lhe faltam 20 ou 30.000 euros, parece-nos desumano e inaceitável”, escreveu a empresa.

Tentou pedir sem sucesso dinheiro pela Internet e espera agora que o tribunal consiga decidir a seu favor. Enquanto isso não acontece, paga 1.400 euros por mês a uma enfermeira para tomar conta dos filhos do outro lado do mundo.