Um dos cinco terroristas abatidos ontem pela polícia, na sequência dos ataques terroristas em Barcelona e Cambrils, pode ser o condutor da carrinha que atropelou mais de 140 pessoas, nas Ramblas, em pleno centro da cidade. Há 14 mortos confirmados, entre eles uma portuguesa, e 130 feridos.

O chefe da polícia catalã, Josep Lluis Trapero, confirmou disse em conferência de imprensa que há "indícios" de que um dos terroristas abatidos possa ser o condutor da carrinha, mas também ressalvou que, até ao momento, ainda não está identificado. Depois da confusão inicial da identidade do condutor da carrinha, também não foi também confirmado nem desmentido que seja Moussa Oukabir, de 18 anos.

Certezas, para já, é que nenhum dos cinco homens abatidos tinha antecedentes relacionados com terrorismo. Em termos de nacionalidades, sabe-se de quatro: três são marroquinhos e um espanhol

A polícia indicou também que os ataques de Barcelona e Cambrils (este ocorreu já depois do atropelamento nas Ramblas) foram preparados "durante algum tempo" em Alcanar, a sul de Barcelona, pelo que poderão estar relacionados com a explosão que aconteceu em Alcanar, a 200 quilómetros de Barcelona, horas antes do ataque, dentro de um apartamento. Os investigadores suspeitam que quem estava dentro dessa casa estaria a preparar um engenho explosivo.

Estavam a preparar um atentado ou vários atentados em Barcelona. A explosão de Alcanar o que fez foi evitar (...) atentados de maior alcance"

Terá sido essa explosão em Alcanar que os levou a concretizar o atentado logo nesse dia. 

Os terroristas de Cambrils levavam dentro do carro em que seguiam um machado e várias facas. Ainda conseguiram dar-lhes uso, ferindo uma pessoa na cara. 

Na conferência de imprensa dos chamados Mossos d'Esquadra, foi também confirmado que um só agente abateu quatro terroristas. 

Há três carrinhas sob investigação, incluindo aquela que foi interceptada em Vic.