A polícia catalã acredita que estava apenas um suspeito na carrinha que atropelou centenas de pessoas nas Ramblas na passada quinta-feira, avança a Reuters que cita o chefe da polícia catalã. No entanto, as autoridades dizem que não podem confirmar quem era o condutor.

A polícia avança ainda que os investigadores conseguiram identificar duas pessoas dos restos mortais encontrados na casa de Alcanar.

As autoridades anunciaram ainda que a célula terrorista responsável pelos atentados em Espanha preparava “um ou vários atentados” bombistas em Barcelona com 120 botijas de gás encontradas numa casa em Alcanar, 200 quilómetros a sudoeste da capital catalã.

Começamos a ver claramente que era o local onde estavam a preparar os explosivos para cometer um ou vários atentados na cidade de Barcelona”, declarou o chefe da polícia da Catalunha, Josep Lluis Trapero.

Espanha foi alvo de dois ataques terroristas na região da Catalunha, em Barcelona, na quinta-feira, e em Cambrils, na madrugada de sexta-feira, que fizeram um total de 14 mortos e 135 feridos, com a utilização de viaturas que atropelaram pessoas indiscriminadamente.

Ambos os ataques foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.