O condutor da carrinha que atropelou a multidão nas Ramblas foi abatido numa operação policial em Subirats, a cerca de 50 quilómetros de Barcelona.

A polícia catalã confirmou a morte de Younes Abouyaaqoub, que estava em fuga desde o duplo atentado de quinta-feira na Catalunha, em que morreram 15 pessoas e mais de uma centena ficou ferida.

Em conferência da imprensa, o major da polícia catalã, Josep Lluís Trapero confirmou que o homem abatido era Younes Abouyaaqoub, um marroquino de 22 anos, que foi interpelado pela polícia, que fora alertada por uma residente em Sant Sadurní D'anoia

Dois agentes viram uma pessoa agachada entre as vinhas em Subirats e deram-lhe ordem para parar. Vestia uma camisa e dentro um cinturão de explosivos, que afinal era falso", relatou o major da polícia, Josep Lluís Trapero.

As autoridades já antes tinham confirmado que o suspeito abatido trazia o que parecia ser um cinto de explosivos.

Sem saber se o cinto de explosivos era real ou falso, os policias atiraram a matar.

Younes gritou "Alá é grande!" Os mossos (agentes) viram que tinha um cinto que podia ser de explosivos e usaram as suas pistolas", confirmou o chefe da polícia.

Depois, um robot da polícia retirou o cinto para ser verificado o seu conteúdo.

Imã também morreu

Tido como o provável instigador da radicalização dos jovens que residiam na cidade de Ripoll, Abdelbaki Es Satty, líder religioso muçulmano na cidade dos arredores de Barcelona, era procurado pela polícia desde o dia dos atentados. Chegou esta segunda-feira a confirmação, através de provas de ADN, que morreu na explosão de uma vivenda em Alcanar, quarta-feira passada.

Falta ainda identificar o ADN da outra pessoa morta em Alcanar", assumiu o chefe da polícia catalã na conferência de imprensa, falando sobre a explosão ocorrida numa vivenda na cidade de Alcanar, devido, ao que se sabe, pelo manuseamento de garrafas de gás e explosivos.

Com as mortes de Younes Abouyaaqoub, que a polícia crê ter sido o condutor que atropelou dezenas de pessoas nas Ramblas, e do imã de Ripoll, entre óbitos e detenções fica neutralizada a célula de 12 pessoas.

Nas contas da polícia catalã, dos doze elementos procurados pelos atentados, quatro estão detidos desde quinta-feira e oito morreram:

  • 2 na explosão de Alcanar, um dos quais será o imã Abdelbaki Es Satty;
  • 5 no ataque na cidade costeira de Cambrils, no início da madrugada de sexta-feira;
  • 1 esta segunda-feira, que a polícia já confirmou ser Younes Abouyaaqoub.

Operação continua em aberto

Apesar de terem capturado e eliminado os doze homens procurados desde os atentados da passada semana na Catalunha, a polícia mantém em aberto a operação e as investigações.

Não se dá por encerrada a operação policial, apesar de sempre termos dito que estavamos trabalhando sobre um núcleo de 12 pessoas: quatro estão detidas, duas morreram em Alcanar, cinco em Cambrils e há o terrorista morto agora em Subirats. Mas isso não faz com que a investigação não se possa ampliar e que nas próximas semanas haja novidades", expôs o major da polícia, Josep Lluís Trapero.