Mais de 3.000 pessoas, entre as quais 400 presidentes de câmara da Catalunha, concentraram-se esta quinta-feira em frente ao tribunal de Barcelona onde hoje vai ser ouvido o presidente catalão, Artur Mas, devido ao "referendo" de 09 de novembro.

Artur Mas entrou hoje no Palácio de Justiça de Barcelona, sede do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha, pouco antes das 10:00 (09:00 em Lisboa), para responder sobre a convocação do "referendo de 09 de novembro", organizado e realizado na Catalunha apesar de ter sido proibido pelo Tribunal Constitucional espanhol.

Na consulta eram feitas duas perguntas: «Quer que a Catalunha seja um Estado?» e, se sim, «Quer que a Catalunha seja um Estado independente?». Entre os 2.236.806 votos, em 5,4 milhões de potenciais eleitores, com 96,8% das mesas escrutinadas, 80,76% (1.806.336 pessoas) votou «sim» nas duas perguntas. 10,09%% (225.659) votou «sim» na primeira e «não» na segunda e 4,54% (101.601) votou «não» totalmente. 

Mas chegou ao Tribunal acompanhado de cerca de 400 dos 967 presidentes de câmara da Catalunha, bem como dirigentes independentistas, membros do atual governo regional e cerca de 2.500 cidadãos. À entrada do presidente no edifício ouviram-se gritos de "Independência".