O aeroporto de Barajas, em Madrid, baixou o estado de alerta de "alerta geral" para "alerta local", depois de uma ameaça de bomba num voo da Saudi Airlines, entre Madrid e Riad. O "alerta geral" tinha sido decretado por volta das 12:45 locais (menos uma hora em Lisboa). 

A informação inicial do "alerta geral" foi avançada pela Aena, através da conta no Twitter. 

 

Situación actual, el B777 de Saudia rodeado de autoridades, pero nadie se acerca pic.twitter.com/70lxq4cNRO

 

O voo SVA 226 tinha saída prevista para as 10:54 de Madrid, mas, de acordo com o El País, ainda não levantou voo. 

De acordo com a Aena, o operador aeroportuário espanhol, as forças de segurança estão a fazer averiguações. Os agentes estão nas imediações do avião, que está estacionado junto ao terminal T-4. 

De acordo com fontes policiais, foi encontrado um bilhete cravado com uma faca no Boeing 777 que dizia "ameaça de bomba", escrito em inglês, precisamente quando o avião já rodava na pista, com 97 passageiros e 15 tripulantes a bordo. 

O bilhete foi encontrado por um dos membros da tripulação, numa das portas de um dos armários da cabina. A descolagem foi então abortada e o aparelho foi desviado para uma zona segura do aeroporto de Barajas. Os passageiros foram desembarcados e conduzidos a um local seguro. 

O "alerta geral" durou cerca de meia hora e, após esse período, o nível de alerta foi então reduzido. 

 

 

De acordo com o El País, que cita fontes da Guardia Civil, é muito provável que se trate de um falso alarme. Ainda assim, elementos do Grupo Especial de Desativação de Explosivos foram chamados ao aeroporto e seguiram o protocolo de inspeção do avião. 

A Aena assegura que o aeroporto esteve sempre operacional nas outras zonas.