Barack Obama, que se tornou no primeiro presidente norte-americano a visitar uma prisão nos EUA, defendeu uma revisão das sentenças para crimes não violentos e considerou anormal o elevado número de jovens detidos.
 

"Penso que, por vezes, temos a tendência para tomar por garantido, ou pensar que é normal, haver tanta gente nova que acaba no sistema judicial. Não é normal. Não é o que acontece nos outros países”, disse Barack Obama, que esta quinta-feira visitou a prisão federal de Oklahoma, onde conheceu seis reclusos condenados por posse de droga.


Barack Obama disse ser necessário "reconsiderar se as sentenças de 20, 30 anos para crimes não violentos são a melhor forma de resolver” os problemas da criminalidade e de reabilitação.