O Presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou, este domingo, que sempre foi “cético” relativamente à ideia de treinar um “exército” de rebeldes sírios contra o Estado Islâmico (EI) e admitiu o que o seu programa “não funcionou”.

"Fui cético desde o início relativamente à ideia de que íamos criar eficazmente um exército (...) Não há dúvida de que não funcionou", afirmou Obama, numa entrevista transmitida no domingo pela cadeia televisiva CBS.


Esta sexta-feira, o Pentágono revelou que vai interromper o programa de treino de novas unidades rebeldes sírias e concentrar esforços na formação e no fornecimento de armamento a líderes rebeldes já identificados no terreno.

Plano passava por armar e treinar cerca de cinco mil rebeldes sírios por ano, integrantes de grupos árabes e curdos envolvidos na luta contra o Estado Islâmico. O programa do Pentágono dispunha de um orçamento de cerca de 440 milhões de euros.