O presidente norte-americano, Barack Obama, entrou para a história ao ter sido escolhido para ser a capa número 100 da revista “Out”. A publicação, virada para o público LGBT, considerou-o como “Aliado do ano”.

Todos os anos, a revista dedica-se a escolher as 100 personalidades que mais contribuíram para a causa LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgéneros). As posições tolerantes que Obama tem vindo a demonstrar sobre este assunto valeram-lhe a distinção.

Obama é assim o primeiro presidente dos Estados Unidos da América a ser fotografado para a capa de uma publicação LGBT.
 


O chefe de Estado afirmou que os ensinamentos passados pela mãe de que "cada pessoa tem o mesmo valor" inspiraram-no a olhar de outra forma para os direitos LGBT durante a sua administração. Agradeceu ainda ao seu professor e amigo, Lawrence Gołdyn, por tê-lo influenciando diretamente na maneira como encara estas questões.

Para Obama, a geração das filhas parece mais preparada em lidar com este assunto.
 

"Para Malia, Sasha e respetivos  amigos, a discriminação de qualquer forma contra qualquer pessoa não faz sentido. Não lhes faz diferença se os amigos são gays ou se os pais deles são pessoas do mesmo sexo. Isso é poderoso ", disse o presidente à "Out", acrescentando que práticas como a terapia de conversão devem acabar.

 
Quando assumiu o primeiro mandato, em 2008, apenas dois Estados norte-americanos tinham leis que permitiam o casamento entre pessoas do mesmo género, situação que hoje é uma realidade em todo o país.