Barack Obama foi convidado do programa "Daily Show" pela última com Jon Stewart na apresentação. Neste episódio especial, que marcou um reencontro e, ao mesmo tempo, uma despedida entre o Presidente e o apresentador, Obama foi perentório: Stewart não pode deixar o "Daily Show".

“Não acredito que te estás a retirar antes de mim. Vou emitir uma ordem executiva. O Jon Stewart não pode deixar o programa. “


O líder norte-americano, que termina o mandato em agosto de 2017, brincou com a saída de Jon Stewart, que vai deixar o "Daily Show" em agosto, depois de ter estado 16 anos à frente do programa.

Esta foi a sétima vez que Obama foi ao programa, a terceira como presidente dos EUA, e, por tudo isto, Obama fez um balanço da sua governação, das iniciativas na área da saúde à pressão exercida nas negociações com o Irão. Assim, a entrevista acabou por ser bastante mais séria do que as anteriores.

"Eu sei o que faço. Uma grande parte do trabalho que fizemos bem cedo começa agora a dar frutos. Sinto-me como se tivesse 18 meses." 


Outro dos pontos altos do programa terá sido o momento em que Obama comentou a candidatura de Donald Trump às presidenciais.

"Estou certo de que os republicanos estão a adorar o facto de Trump estar a dominar as primárias republicanas", afirmou.

 
"Qualquer coisa que os torne menos malucos", acrescentou Stewart. 

Jon Stewart apresenta o "Daily Show" pela última vez a 6 de agosto e depois disso o programa será conduzido por Trevor Noah.

O programa existe desde 1996 e é apresentado por Stewart há 16 anos, desde 1999. Trata-se de um noticiário falso, de sátira, que tem sobretudo como alvo os acontecimentos da vida política dos Estados Unidos. A retirada de Stewart foi anunciada em fevereiro.