Barack Obama informou Hamid Karzai, presidente afegão, esta terça-feira, através de um telefonema, que até ao final do ano retirará todas as tropas americanas do Afeganistão.

A recusa de Karzai em assinar o Acordo de Segurança Bilateral terá levado o chefe do governo americano a tomar esta decisão.

O acordo oferecia proteção legal para as tropas dos EUA e treinos militares da NATO para futuras missões anti insurgentes, em 2014.

Num comunicado emitido hoje pela Casa Branca, lê-se: «O Presidente Obama disse ao Presidente Karzai que, uma vez que é pouco provável que este assine o acordo, os Estados Unidos avançarão com um plano de contingência adicional».

Obama pediu ao Pentágono que assegurasse «a existência de um plano adequado para uma retirada ordeira, até ao final do ano», adiantam as agências internacionais.

Os dois governos não chegaram a um consenso, mas os EUA acreditam que o acordo deveria ser assinado antes do fim da presença dos militares no país. Eventuais operações contra terrorismo e treinos com as tropas afegãs são as razões invocadas por Obama.

Hamid Karzai alega que ao assinar o acordo tornava-se responsável pela morte de afegãos, provocadas por bombas dos Estados Unidos.

As tropas americanas entraram no Afeganistão em setembro de 2001. Desde 2009, ano em que foi eleito Presidente, que Barack Obama promete pôr fim à presença dos seus soldados em solo afegão.