Barack Obama é o primeiro presidente norte-americano a visitar o local onde caiu a primeira bomba atómica. Obama desejou um mundo sem armas nucleares e abraçou os sobreviventes da tragédia, mas não pediu desculpas pela História. 

A morte caiu do céu e o mundo mudou”, disse o presidente norte-americano.

“Estamos aqui, no meio desta cidade, e fazemos um esforço para imaginar o momento em que a bomba caiu. As palavras não conseguem expressar o sofrimento que terá sido sentido (…) Ouvimos um choro silencioso”, disse. 

Sem pedir desculpa, de acordo com a Associated Press, Barack Obama concentrou o discurso na chamada de atenção para os perigos das armas nucleares.

“Assumimos a responsabilidade de olhar diretamente nos olhos da História. Devemos questionar-nos e perceber o que podemos fazer diferente para evitar outro sofrimento semelhante”.

Num gesto simbólico, Obama depositou uma coroa de flores no memorial às vítimas do ataque nuclear, que teve lugar a 6 de agosto de 1945. Milhares de pessoas morreram logo e outras 140.000 morreram nos anos seguintes, vítimas dos efeitos da bomba despejada pelos Estados Unidos. 

Três dias depois, a 9 de agosto, Nagasaki, também no Japão, foi alvo da segunda bomba atómica.

Barack Obama dirijiu a sua homenagem não só às mais de 210 mil vítimas japonesas dos dois bombardeamentos nucleares, mas ao conjunto das vítimas da Segunda Grande Guerra.

O discurso do presidente norte-americano foi acompanhado de perto pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

Esta tragédia não se deve repetir. É uma responsabilidade de todos nós que vivemos o presente. Estamos determinados a libertar o mundo das armas nucleares”, disse Shinzo Abe.

No livro de visitas do museu Hiroshima, o presidente também escreveu que espera que o mundo encontre "a coragem, em conjunto, para espalhar a paz , e procurar um mundo sem armas nucleares".