O Presidente norte-americano, Barack Obama, promulgou na quinta-feira a partir do Havai, onde se encontra de férias, o compromisso orçamental para dois anos aprovado recentemente pelo Congresso dos EUA.

A medida, que foi aprovada na Câmara dos Representantes, dominada pela oposição republicana, e depois no Senado, de maioria democrata, com 64 votos a favor e 36 contra, com o apoio de nove republicanos, estipula limites para a despesa em 2014 e 2015 e elimina cortes automáticos em 63 mil milhões de dólares (46 mil milhões de euros), que deveriam começar em 1 de janeiro.

O acordo alcançado evita a paralisia dos serviços federais e consagra o aumento do limite da despesa de 967 mil milhões de dólares em 2013 para 1,012 biliões [milhão de milhões] em 2014 e 1,014 biliões em 2015.