O presidente dos EUA, Barack Obama, e o presidente da França, François Hollande, concordaram que os dois países devem fazer “mais” para derrotar o Estado Islâmico.

“Como americanos, ficamos ao lado dos nossos amigos nos tempos bons e maus”, disse Obama numa conferência de imprensa conjunta na Casa Branca.

Como avança a agência Reuters, os dois líderes concordaram, também, em aumentar a coordenação e a partilha de informações de inteligência entre os dois países.

“Os EUA e a França permanecerão unidos, em total solidariedade, para fazer justiça contra estes terroristas, e para defender as nossas nações. (…) [O Estado islâmico e a sua ideologia] é uma ameaça séria para todos nós”.


O presidente norte-americano acrescentou que o seu Governo vai continuar a fazer “tudo” o que conseguir para proteger os seus cidadãos.

François Hollande disse que os dois países vão aumentar o número de ataques contra o EI no Iraque e na Síria, mas descartou a possibilidade de uma ofensiva terrestre. Os dois líderes concordaram, ainda, que é importante que a fronteira entre Turquia e a Síria seja fechada, para prevenir a entrada de mais extremistas na Europa.

Os dois líderes referiram-se, ainda, ao incidente de hoje na fronteira da Turquia com a Síria, onde um avião russo foi abatido, e pediram à Turquia e à Rússia que apurem o que realmente aconteceu, de forma a evitar qualquer tipo de consequências.

A reunião dos dois líderes em Washington antecede outra em Moscovo, onde Hollande vai encontrar-se com o presidente russo, Vladimir Putin, já na quinta-feira.