O proprietário do prédio de nove andares que desabou e matou 1.135 trabalhadores fabris, em abril do ano passado, no Bangladesh, pode enfrentar acusações de homicídio, informou hoje a polícia.

Sohel Rana, o proprietário do complexo fabril Rana Plaza, na periferia da capital do país, Daca, é uma das 40 pessoas que estão envolvidas no desastre, disse o investigador principal do caso, Bijoy Khishna Kar.

«Estamos a planear imputar a Sohel Rana acusações de homicídio e a mais alguns envolvidos», adiantou Kar, chefe do departamento de investigação criminal do Bangladesh, acrescentando que está convicto que Rana poderá ser sentenciado à pena de morte.