Um combatente considerado “um dos cérebros” do ataque em julho a um café da capital do Bangladesh que causou 22 vítimas mortais, foi declarado morto, esta sexta-feira, na sequência de uma operação da polícia em Daca, anunciaram as autoridades.

O corpo de Nurul Islam Marzan e de outro presumível militante islâmico foram descobertos numa casa num bairro de Rayer Bazar, disse à AFP um porta-voz da polícia de Daca.

Descobrimos dois corpos, um deles era de Marzan", disse o comissário adjunto Yusuf Ali.

O ataque levou à morte de 20 estrangeiros e dois polícias. Seis atacantes também morreram e um sétimo jihadista acabou capturado pela polícia.

Armados, os extremistas fizeram dezenas de reféns num restaurante que se localiza na zona diplomática de Daca e que é frequentado por muitos estrangeiros. Vinte reféns foram agredidos até à morte, segundo um porta-voz do exército local. As vítimas são cidadãos estrangeiros e a maior parte eram italianos e japoneses.