A Guardia Civil de Algeciras, em Espanha, apreenderam quase seis toneladas de cocaína naquela que é a maior apreensão de cocaína deste século e a segunda maior quantidade apreendida numa operação contra o narcotráfico na história de Espanha. Nesta operação foram detidas três suspeitos, um deles português.

De acordo com as autoridades, as cocaína encontrava-se camuflada num carregamento de bananas procedente da Colômbia: os 5.883 quilos estavam distribuídos em 5.299 pastilhas de um quilo escondidas nas bananas.

A operação "Nativity", que ainda decorre, permitiu à Agência Tributária, Guardia Civil e agentes colombianos, apreendessem o carregamento procedente de Medellín, na Colômbia, e cujo o destino era El Prat, Barcelona. Segundo as autoridades, dada a pureza da substância, a mercadoria valia cerca de 280 milhões de euros. Depois de dividida, podia ter alcançado um preço de 2.800 milhões de euros.

Os três detidos são suspeitos de organização ilícita. Entre eles encontra-se um responsável da empresa de frutas e legumes que era a importadora do contentor onde foi encontrada a droga. Os outros dois detidos eram duas pessoas da sua máxima confiança, um deles um cidadão português que vivia em Barcelona.

A apreensão foi feita no passado dia 28 de novembro, no porto de Algeciras, depois de uma análise à documentação comercial e marítima. As autoridades selecionaram um contentor suspeito que, de acordo com a documentação, fazia parte de uma carga de seis contentores e transportava uma carga de bananas a bordo do navio "Banak".

Esta é a segunda maior apreensão de droga em meios de transporte em Espanha. A primeira aconteceu em 1999, quando 7,6 toneladas de droga foram apreendidas pela Polícia Nacional e pela Agência Tributária após a abordagem a um barco.