Uma paciente do Hospital da Universidade de Maryland, nos EUA, foi levada para a rua por quatro funcionários, que a deixaram sozinha, e praticamente sem roupa, numa paragem de autocarro. Um morador local, incrédulo com o que estava a assistir, decidiu fazer um vídeo e publicá-lo nas redes sociais. 

O vídeo foi feito por Imamu Baraka e mostra quatro seguranças do Hospital do Centro Médico da Universidade de Maryland, em Baltimore, nos EUA, a deixarem uma paciente numa paragem de autocarro. Sozinha, apenas de meias e uma bata de hospital, esta mulher mostrava sinais evidentes de confusão e alguns cortes no rosto. 

Indignado com o que estava a acontecer, Imamu, psicoterapeuta de profissão, foi tentar ajudar a mulher, que caminhava de forma lenta e desorientada, enquanto balançeava o corpo de um lado para o outro. Conversou com ela durante alguns minutos, mas acabou por chamar uma ambulância ao local para tomar conta da situação. 

O vídeo, publicado na noite em que tudo aconteceu, gerou uma onda de polémica e revolta, levando milhares de pessoas a pôr em causa os princípios morais daquela instituição hospitalar. 

Devido a repercussão do sucedido, o Centro Médico da Universidade de Maryland escreveu fez um comunicado na sua página de Facebook, onde confessa que " falhou na sua missão com esta paciente" e que "partilha do mesmo choque e desilusão que muitas pessoas tiveram quando viram o vídeo".