Uma baleia da espécie Omura deu à costa pela segunda vez em 200 anos, numa praia em Exmouth, no oeste australiano. Os investigadores pensavam que a espécie há muito estava extinta, tendo agora a oportunidade de aprender mais com o mamífero. 
 
A equipa do Departamento de Parques e Vida Selvagem da Austrália analisou o DNA da baleia e confirmaram que a fêmea juvenil com 5,68 metros pertencia de facto à espécie rara.

«As baleias de Omura só foram descritas em 2003, pela primeira vez. A espécie é aparentemente restrita das águas tropicais e subtropicais», afirma o ministério do meio ambiente, Albert Jacob, que garante que a descoberta foi «muito significativa» para os cientistas. 

O mamífero tem uma silhueta elegante e características únicas, como por exemplo quatro dedos em cada barbatana peitoral. Geralmente é encontrada nas águas da Indonésia, Filipinas e Mar do Japão. 

«O conhecimento que adquirirmos a partir desta baleia vai ajudar a melhorar as guias de investigação de campo para melhor entender a distribuição regional da baleia», acrescenta Jacob. 

A carcaça do animal foi enterrada e o esqueleto será recuperado daqui a uns anos, para investigação científica e possivelmente para exibição pública.