O vírus do ébola já provocou 6070 mortos e o número de casos de infeção atingiu os 17145, segundo um novo balanço feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS), anunciado esta quarta-feira.

A organização alertou para o facto de o vírus continuar a alastrar-se de forma preocupante em alguns países, destacando o caso da Serra Leoa, onde só na semana passada foram registados 537 novos casos de infeção. Um número bem acima do que se tinha verificado na semana anterior, que tinha ficado pelos 385. Dos 537 novos casos, 202 atingiram a capital Freetown.

«A transmissão do vírus continua persistente e intensa por todo o país, excepto no sul. Em certas áreas como Freetown e Port Loko, o tratamento e a capacidade de isolamento não corresponde ao que é necessário», garante a OMS.

 
Para se ter uma ideia do problema neste país, nos últimos 21 dias o número de casos de infeção subiu para 2039 e destes, 1455 foram verificados na Serra Leoa. 

Além da Serra Leoa, a Guiné-Conacri e a Libéria são os países mais afetados pelo surto que faz nesta altura um ano: apenas 15 de todas as mortes provocadas pelo vírus não se registaram num destes três países.
  

«Nestes três países, o número de camas e a capacidade para dar uma resposta eficaz ao nível do tratamento e isolamento do vírus aumentou, mas uma distribuição desigual em muitos casos resulta numa carência em algumas áreas», alertou a organização.