O autor do ataque no comboio que fazia a ligação Amsterdão-Paris, na última sexta-feira, é suspeito de tentativa de assassinato em massa e de pertencer a uma organização terrorista.
 
Numa conferência de imprensa esta tarde, o procurador francês, François Molins, encarregue da investigação revelou que momentos antes do atentado, o suspeito visionou no telemóvel um vídeo no Youtube com cânticos islâmicos.
 
O responsável adiantou ainda que a arma que o suspeito transportava, não era afinal uma Ak-47 mas sim, uma arma de assalto AKM com origem na antiga Alemanha de Leste e construída recorrendo a peça provenientes de outras armas. A arma é uma versão da famosa espingarda de assalto 'Kalashnikov'.
 
O arsenal do suspeito continha ainda nove carregadores com 270 munições, uma pistola automática Luger M80 com o respetivo carregador e uma garrafa com gasolina na mala do suspeito.

As autoridades francesas revelaram que o suspeito, Ayoub el-Khazzani, um marroquino de 25 anos, chegou à Europa a 4 de junho vindo da Turquia.

Ouvido pelas autoridades, o suspeito negou ter tentado perpetrar um atentado terrorista, defendendo que apenas queria roubar os passageiros do comboio. Os magistrados deverão agora aprovar a instauração da sua acusação e a sua colocação em prisão preventiva.