O herói norte-americano do TGV é um militar da Força Aérea destacado na Base das Lajes, nos Açores, confirmou ao DN o gabinete de informação pública da base aérea.

Spencer Stone, de 23 anos, é o principal rosto do ato heróico que ocorreu na sexta-feira a bordo de um comboio de alta velocidade, que ligava Amesterdão a Paris, quando agarrou o atirador marroquino Ayoub El Kahzzani pelo pescoço.

O alegado terrorista foi manietado com a ajuda de outros dois norte-americanos que viajavam com Spencer Stone e ainda com o auxílio do britânico Chris Norman, treinador de râguebi.

Alek Skarlatos, de 22 anos, da Guarda Nacional dos Estados Unidos e em serviço no Afeganistão até julho, e Anthony Sadler, de 23, estudante de fisioterapia, são amigos de infância de Stone e estavam de férias quando tudo aconteceu.

Stone ficou ferido na luta com o marroquino, suspeito de ser radical islâmico, e que estava referenciado pelos serviços secretos espanhóis, depois de ter vivido em Algeciras.

Barack Obama manifestou já publicamente o  agradecimento pela "coragem e rapidez de atuação" dos passageiros do TGV, referindo-se em particular aos dois militares norte-americanos que ajudaram a neutralizar o atirador. 

"O presidente expressou o seu profundo agradecimento pela coragem e rapidez de atuação de vários passageiros, incluindo os militares norte-americanos, que abnegadamente subjugaram o atacante", divulgou a Casa Branca em comunicado. 

"Os seus atos heróicos, claramente, evitaram uma tragédia", consta ainda na comunicação do Governo norte-americano. 

Também François Hollande e David Cameron manifestaram publicamente o seu agradecimento. 

Segundo o ministro do Interior, o presidente francês agradeceu aos militares por telefone e vai encontrar-se com eles nos próximos dias. 
  
Em comunicado, o primeiro-ministro britânico louvou “a extraordinária coragem dos passageiros” que ajudaram a desarmar o atirador, incluindo o consultor britânico Chris Norman, um dos feridos. 
  
“A bravura do sr. Norman e de outros passageiros ajudou a evitar um terrível incidente”, disse David Cameron.
 

Atirador do TGV em França interrogado por ligações à Síria


As autoridades francesas interrogaram hoje o homem que abriu fogo no comboio de alta velocidade (TGV) que fazia a ligação entre Amesterdão e Paris, indicando que já tinha visitado a Síria e era conhecido pelos serviços de informação.

O alegado atacante, o marroquino Ayob El Khazzani, de 25 anos, armado com uma espingarda automática Kalashnikov, um revolver Luger, munições e uma faca, o atacante abriu fogo a bordo do comboio de alta velocidade logo após ter cruzado a fronteira da Bélgica para França.

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, já tinha admitido no sábado que o atirador pudesse estar referenciado por ligações aos radicalismo islâmico e que os serviços secretos de Espanha, onde viveu até 2014, na cidade portuária de Algeciras, passaram a informação sobre o suspeito a França em Fevereiro desse ano. 

Do incidente no TGV resultaram dois feridos graves, um deles um dos militares norte-americanos, e um ferido ligeiro, o ator francês Jean-Hugues Anglade.